1 de agosto de 2015

#

Certezas?



  Meu nome é Bruno,tenho 17 anos e estou no último ano do ensino médio.Nunca tive dúvida da minha homossexualidade,sempre fui de gostar de bonecas e claro de garotos.Todos na minha família finalmente tinham me aceitado como eu realmente sou,mas um dia apareceu uma garota diferente de todas na minha escola e fez eu duvidar das minhas certezas.
  "Quem é ela?"- perguntei para a Victória minha melhor amiga.
  "Ela se chama Fernanda,é de Campinas o pai dela foi transferido para essa cidade".
  "É tão fácil ter informações com você."-falei sorrindo.
  "Não vai me dizer que se interessou?"
  "Eu tenho alergia a mulheres e vc sabe disso querida"
  "Eu sei,mas você estava olhando de um jeito estranho para ela"
  E realmente eu estava.Eu estava curioso em saber quem era aquela garota de sorriso lindo,cabelos curtos e olhos azuis.
  "Oi"-disse ela se aproximando de mim e da Victória.
  "Oi,como é o seu nome?"-perguntei parecendo aqueles meninos que não pode ver uma menina direito e já caem matando.
  "Meu nome é Fernanda"-disse sorrindo.
  "A purpurina aqui se chama Bruno e eu me chamo Victória"
  "Viadinho"-disse o Diogo com desprezo,mas já me acostumei com ele.
  "Por que você falou nesse tom com ele?"-perguntou a Fernanda brava.
  "Porque ele é isso um viadinho chupador de ro...
  "Pede desculpa agora!"-disse a Fernanda pegando o braço do Diogo e o entortando.
  "Me solta!"-gritou o Diogo com muita dor.
  "Se você não pedir desculpa vou quebrar seu braço".
  "Me solta!"
  "3,2...
   "Me desculpa Bruno"-disse o Diogo quase chorando de dor.
  "Solta ele Fernanda"-disse a Victória.
  "Bruno?"-perguntou a Fernanda.
  "Eu desculpo"-falei quase sem voz.
  Quando ela o soltou sussurrou algo no ouvido dele enquanto ele levantava do chão que o fez ficar com uma expressão de medo.
  "Por que você fez isso com o Diogo?"-perguntou a Victória bem brava.
  "Porque ele foi um idiota com o Bruno"
  "Não precisava ter feito aquilo"-falei de cabeça baixa.
  "Precisava sim,se eu não fizesse isso ele iria continuar sendo um idiota com você"
  "Nunca me defenderam assim".
  "Isso tudo foi ridículo"-disse a Victória nos deixando.
  "Qual é o problema dela?"-perguntou a Fernanda.
  "Ela gosta do Diogo".
  "Amor platônico".
  "Como você sabe disso?"-perguntei.
  "Está na cara que ele não gosta dela"
  "Tudo bem,mas mudando de assunto.Quer ir numa festa comigo e com a Victória amanhã?"
  "Claro"-respondeu a Fernanda com um sorriso enorme.
  Eu fiquei muito ancioso pela festa,parecia que o tempo não passava.A minha mãe até perguntou porque eu estava tão estranho.
  "Nossa"-disse minha mãe quando viu eu arrumado para a festa.
  "Que foi mãe?Eu estou feio?"
  "Não,você está diferente"
  "Diferente como?"
  "Sei lá,você nunca se veste assim"
  "Tudo bem,beijinhos mãe"-falei dando vários beijos na minha mãe.
  "Juízo"
  "Isso eu tenho de sobra"
  "Tem de sobra porque não usa"
  Quando cheguei na festa a Fernanda já estava lá.
  E ela estava rindo muito.
  "Oi,Fernanda"
  "Oi,Bruno"-disse a Fernanda pulando no meu colo.
  "Você está bem?"-perguntei.
  "Não sei"
  "Como você não sabe?"
  "Eu não sei"-disse a Fernanda rindo ainda mais.
  "Maconha?"
  "Acho que foi isso"
  "Pelo visto é a primeira vez"-falei rindo.
  "Oi pessoinhas"-disse a Victória muito animada.
  "Legal,todo mundo fumo maconha aqui"
  "Você está diferente"-disse a Victória.
  "Minha mãe já me disse isso"
  "Você não pode ficar bonito"-disse a Victória rindo muito-"Eu não posso te achar atraente,você gay".
  "Cala a boca Victória"-falei rindo.
  "Você está muito bonito"-disse a Fernanda virando uma dose de vodka.
  "Me beija?"
  "Não Victória"
  "Sem graça...Uma árvore"-gritou a Victória correndo até uma árvore.
  "Já que estamos sozinhos vou te contar um segredo"-falei para a Fernanda.
  "Pode contar"
  "Eu gosto de você"
  "Oque?"-perguntou a Fernanda assustada.
  "Eu sei que é cedo,mas você é a primeira garota que não me assustou e desde o primeiro instante que te vi me senti diferente"-falei sentindo meu coração saltando.
  "Bruno me desculpa,mas sou lésbica"
  "Bruno"-gritou o Diogo vindo na minha direção.
  "Agora não Diogo"-falei.
  "É Diogo agora nã..."-a Fernanda nem acabou de fala e o Diogo me beijou.
  "Mas que porra foi essa?"-perguntei bravo.
  "Sabia que ele gostava de você"-disse a Fernanda.
  "Eu gosto de você Bruno"
  Quando o Diogo disse isso virei para trás e vi que a Victória tinha visto tudo.
  "Ai merda"-falei passando a mão na cabeça.
  "Eu achei que você era meu amigo"-disse a Victória.
  "Victória me escuta por favor"
  "Não,só quero ir embora"-gritou a Victória.
  "Como você vai?"-perguntou a Fernanda.
  "Eu ligo para meus pais,sei lá...eu me viro"
  "Eu te levo embora"-disse o Diogo.
  "Sai fora"-disse a Victória indo embora brava.
  "Bruno fica"-disse a Fernanda me segurando.
  "Deixa eu ir atrás dela"-falei quase chorando.
  "Eu preciso conversar com você"
  "Então fala logo"
  "Bruno você não gosta de mim de verdade, você só está confuso"-disse a Fernanda.
  "Não estou"-falei.
  "Está sim"
  "Como você sabe?"
  "Porque eu já achei que estava apaixonada por um garoto até que me dei conta que não estava apaixonada por ele"
  Quando escutei aquela frase foi automático comecei a caminhar para longe.
  "Onde você vai?"-gritou a Fernanda.
  "Para bem longe"-gritei de volta.
  Eu caminhei até um lago perto de lá e como sempre ninguém estava no lago.
  "Você é um idiota, Bruno"-falei dando murros numa árvore.
  "Você vai quebrar a mão"-disse a Fernanda atrás de mim.
  "Não era para você ter me segui....AIIIIIII"-gritei quando dei um murro muito forte na árvore.
  "Eu falei que você iria quebrar a mão.Está doendo aqui?"-perguntou a Fernanda apertando a minha mão.
  "Está doendo muito"-falei quase chorando.
  "Vou ter levar para um hospital"
  "Não precisa"
  "Precisa sim"-gritou a Fernanda.
  "Então você é lésbica mesmo ou só falou isso para me dar um fora?"
  "Eu sou mesmo"
  "Estou me sentindo um idiota"
  "Não fica assim"-disse a Fernanda limpando minhas lágrimas e me beijou.
  "Por que você me beijou?"-perguntei assustado.
  "Te beijei para você ver que não está realmente gostando de mim"
  "Eu não senti nada"
  "Viu?!"-disse a Fernanda com um sorriso.
  "E a Victória?"
  "Depois eu explico para ela tudo"
  "Minha mão está doendo muito mesmo"-falei quando vi que a minha mão estava inchando.
  "Vamos para um hospital"
  "Vamos...Quem diria que o Diogo me provocava esse tempo todo porque ele gostava de mim?"-falei rindo.

@cristcamilla