Oi?

Oi oi pessoas! Tudo bom?
Sim, quem é vivo sempre aparece!
Mas, como estou cansada de dizer a vocês, muitas vezes precisamos de um tempo para pensar no que queremos, e no meu caso, esse último ano foi para tal e além, para saber quem EU sou, e o que realmente deveria fazer da MINHA vida. Já estava mais que na hora da Camila parar de abraçar o mundo e focar somente no que ela queria.
Nesses últimos doze meses, passei na faculdade que eu queria no meu plano B que no final me apaixonei completamente apesar de todas as dificuldades, que na real não foram poucas. Me decepcionei com mais pessoas do que imaginei que seria possível, outras mais improváveis ainda me estenderam a mão. Me levantei mais do que achei que fosse necessários, tomei uma grande decisão, de gente grande MESMO, e estou aqui, voltei com essa ideia louca de um dia publicar meu sonho em capa dura e com relevo.
Para começar vamos pagar mico mesmo, revendo os vídeos antigos, bora lá?

Alguns dias são difíceis...

Alguns dias são mais difíceis que os outros.


Mas existem dias especialmente difíceis, existem dias onde o futuro parece ser sombrio e denso, onde a possibilidade de beleza nesse mundo cão deixa de existir, onde todas as pessoas que algum dia pareceram se importar com você somem e te deixam ali... Naquele dia terrível que você tem que enfrentar sozinho.


É uma guerra. E você é seu próprio inimigo, seu corpo e mente parecem cansados, seu estado de espírito mal existe em meio à tanta dor e sofrimento que você sente, você se olha no espelho e vê pouco menos que nada, você se sente um nada. As pessoas viram nada, os livros viram nada, o afeto vira nada, os sentimentos são resumidos em tristeza e solidão, tudo parece mórbido demais... Um grande cinza escuro cobre a sua alma e você pensa "vão dizer que você esta fazendo drama, vão dizer que você é uma mimada fazendo drama, eles te odeiam, eles não sabem como você está se sentindo, e eles querem te fazer sentir ainda pior". É uma tortura.


E aí é que vem aquele pensamento, aquele que a internet faz tanto alarde afim de evitar, o famoso suicídio. E é doidera, posso te garantir.


A gente passa a vida toda dizendo que não temos coragem,mas essa doença... Ela te deixa louca, ela acaba com a sua sanidade e você se torna cega, cega para as possibilidades, para a felicidade e para o futuro, é como se todas as suas duvidas só tivessem uma resposta: a morte. A morte acaba com a dor, com o medo, o sofrimento, a raiva, a morte acabaria com tudo isso, pela primeira vez na vida, a morte é a única solução que você consegue encontrar.


A depressão torna sua própria mente o lugar mais sombrio do mundo, e apesar de você não estar deprimida todos os dias você convive com o medo, você sabe que ela existe e sabe que provavelmente ela vai voltar, quando você menos esperar. A depressão não é bonita, a depressão é uma tortura lenta e dolorosa, é cruel e perigosa, não é uma brincadeira.

Vinte e quatro horas é muito pouco

Imagem de flor, relogio, and cute


16/09/15

Vinte e quatro horas é muito pouco

Nos dias atuais, vinte e quatro horas é pouco para oito horas de sono.

Vinte e quatro horas é muito pouco para oito horas de trabalho; e muito menos para as atividades extras, essas que são levadas para casa em pastas coloridas, ou ainda, em seus mini-computadores de bolso.

Vinte e quatro horas é muito pouco, para ter tempo para a família; muito menos para um jantar à mesa que raramente é usada.

Vinte e quatro horas é muito pouco, para aquele filme no cinema, ou mesmo em casa, com pipoca de microondas.

Vinte e quatro horas é muito pouco, para realizar as nossas tarefas cotidianas; muito menos para os sonhos guardados no fundo do baú velho.

Vinte e quatro horas é muito pouco para um longo e relaxante banho; ele sempre vem acompanhado de pensamentos " ainda preciso fazer isso".

Vinte e quatro horas é muito pouco para observar a lua pela janela, e reviver memórias não muito distante; do tempo em que, a virada do ano significava olhar da sacada as luzes brilhantes, que explodiam como mágica no céu negro.

Não temos tempo para nós mesmos.

Quem dirá, para observar a lua ao anoitecer e, o amanhecer.

Ah é! Os monstruosos bichos de concretos atrapalham o único vestígio de natureza que se possa ter, diante  de um velho apartamento da cidade grande.

Não há mais espaço para a lua.

Paz






Preciso de um amor verdadeiro,
De um beijo roubado
Um abraço apertado,
Um ombro amigo
Na hora de alegria
E amargura.

Preciso de mais simplicidade
Beleza nas pequenas atitudes
E de atitude, eu quero paz.

Preciso de uma rosa pela manhã
E que ela dure até o anoitecer

Preciso de chocolates infinitos
E de infinitos eu quero paz.



Ih! Me apaixonei pela minha melhor amiga

Imagem de couple, dance, and anime

Último dia do ensino médio.

Os olhares atentos dos meus colegas de classe e seus familiares estavam voltados em mim. Não podia falhar. Falhas não são admitidas.

- Boa noite. Sou Hector Lafeti, sim. Eu também me pergunto da onde meus país tirarem esse nome - a platéia soltou alguns risinhos- sou o orador do terceiro ano, mas como as garotas já falaram tudo- mais risadinhas. Sorri para  minhas colegas de sala que tentavam não borrar a maquiagem- irei falar de uma pessoa. Uma garota que eu admiro muito. Ainda me lembro quando cheguei aqui. Mal sabia quem era "eu", mas mesmo assim ela ficou ao meu lado, me acolheu com sorrisos aconchegantes, me ajudou a me aceitar como eu sou, afinal quem é que não tem defeitos? OK.ok. Serei breve - joguei na lata de lixo algumas folhas de papel-  Mariana. Obrigado, obrigado por tudo eu..

Uma garota apareceu correndo na sala. Cabelos bagunçado. Tênis desamarrado.

- Me desculpe por favor! Acabei dormindo de mais!

- É.. É claro que você chegaria atrasada hoje.

Ela fez careta para mim, e todos da sala soltaram gargalhadas.

- Em fim, obrigado pela atenção de todos, e por favor tenham o número do táxi bem perto.

Todos riram.

O diretor se aproximou do microfone e em fim a sessão solene começou.

~*~

A decoração do salão estava realmente linda. Não. Quem estava linda era ELA.
Por mais que ela odiasse admitir ficava linda de vestido. Me sentei na cadeira e pude observa-la colocando a mão em seus lábios. Nunca entendi porque ela não gosta do seu sorriso. Ergueu discretamente a barra do vestido, revelando um all star branco.. O mesmo que eu havia lhe do de aniversário meses antes. Soltei uma risada. Ela logo foi arrastada pelas amigas inconformadas.

- Caramba! Você não tem sorte mesmo hein? Você ficou três anos para se declarar, e quando tomou coragem ela se atrasou.

- É a vida não é Lucas?

- É.. A vida é dura demais com os " melhores amigos"

Sorri. Odeio admitir quando ele esta certo.

~*~

5:00 AM

A maioria dos convidados já havia ido embora. Menos ela. Me dirigi a ela.

- Éh.. Mariana.

- HECTOR! Caramba você não sabe!

- Mariana, espere, preciso mesmo falar com você.

- AHAAAN!

Ela estava muito bêbada. Desabotoei o colete e passei a  mão pelos meus cabelos.

- Putz Hector! Não faz isso velho! Isso é muito sexy !

- Mariana- olhei em seus olhos- você já bebeu muito.. Mas não é isso que eu vim te falar. Caramba, você é inacreditável, eu fiquei a merda de três anos esperando a oportunidade perfeita para te contar dos meus sentimentos e você se atrasa, serio?! - peguei  garrafa de vinho da mesa mais próxima e virei em um copo. Agora não tem mais como voltar atrás- Não importa o quanto você não goste do seu sorriso, ele é lindo, alias esse foi o motivo pelo qual aguentei esses três anos! Caramba! Você fica incrível de vestido e mais linda ainda com seu pijama de ursinhos- ela ficou vermelha. Houve silêncio. Bebi o líquido vermelho de uma vez só- Não importa o que digam, você pode fazer tudo o que quiser fazer e garanto que sera a MELHOR no que escolher- coloquei o copo em cima da mesa novamente- você sempre me disse para fazer as coisas das quais eu possa me arrepender, mas nunca me arrepender de ter feito não é? E se eu não fizesse isso iria me arrepender. Muito.

- Hector..

Segurei em sua cintura e a puxei delicadamente ate mim, selando nossos lábios. Eram quentes e macio.

Merda. Me esqueci ! Ela nunca havia beijado e concerteza não ia querer ter seu primeiro beijo com seu " melhor amigo". Pelo menos posso falar que ganhei um selinho.

Senti meu celular vibrar no bolso.

Essa é a oportunidade perfeita. Me afastei e depositei um beijo em sua testa.

- Me perdoe. Sorri

- Hector, eu..

- Não precisa dizer nada. Se me da licença.. -tirei o celular do bolso e apontei para ele.

Ela balançou a cabeça ainda com os olhos assutados.

Me afastei ate o canto do salão, aonde a música estava baixa, se é que era possível.

" Nunca se arrependa do que você fez, mas sim do que NÃO fez."

Sorri e fiquei observando-a dançar ao longe. É, essa frase nunca foi tão verdadeira.